Postagens

Mostrando postagens de 2013

Torcedores de futebol acusam quem não curte futebol de causar confusões em estádios

Imagem
Numa sociedade que considera o futebol como maior orgulho e por consequência, uma obrigação social, é tradicional haver um rotineiro preconceito contra aqueles que não curtem futebol. 
A coisa é tão séria que muitas pessoas, principalmente as mulheres, para não serem excluídas da sociedade, fingem gostar de futebol, assumindo torcer para times cuja escalação é totalmente desconhecida. Imagine a sua história...
O preconceito contra quem não curte futebol parece não ter limites. Até porque ele é respaldado por autoridades, pela mídia e por setores respeitáveis da sociedade. É um preconceito socialmente aceito e por isso mesmo, nada combatido.
Mas parece que está indo longe demais. Se não bastasse que quem assume estar alheio a futebol é tratado como se fosse um mau caráter, agora quem não curte está sendo acusado de se infiltrar em torcidas organizadas para causar tumulto, se esquecendo que o fanatismo (gostar demais de futebol) pode causar violência, sim, como fatos ocorridos na Inglaterr…

Sorteio de sexta feira favorece que "seleção" não seja eliminada na primeira fase

Imagem
Todo mundo sabe que é muito vergonhoso para uma seleção anfitriã sair da festa logo no início. Mas sabem também que escapar desta vergonha pode exigir um esforço que nem mesmo o anfitrião é capaz de fazer. Então, nesta copa deu se um jeitinho para que a seleção anfitriã não cometa a vergonha de sair logo no início, vaiada por seus compatriotas.
O sorteio ocorrido na última sexta em Costa do Sauípe não fugiu da regra de todos os sorteios para a copa, onde a "seleção" de amarelos sempre saí em vantagem, enfrentando sempre seleções fracas na primeira fase para que possa garantir a sua presença nas fases seguintes e evitar o mico de ser eliminada no início.
Os organizadores se preocuparam em favorecer a "seleção" do país do jeitinho, marcando devidamente os papeizinhos a serem sorteados para que as seleções fortes fiquem devidamente separadas da brasileira no grupo da primeira fase. Tem sido assim sempre e foi assim em Costa do Sauípe.
É de interesse mundial que a "s…

Macunaímas, uni-vos

Imagem
OBS: A sociedade brasileira é praticante do "jeitinho", não quer resolver problema, não age quando deve, mas quando quer se dar bem em algo, arma tudo de maneira improvisada e às vezes desonesta para que algum objetivo seja alcançado. Foi assim na desonesta campanha que resultou na conquista do pentacampeonato e está sendo desde já, na realização desta copa supérflua. 
Claro que o hexa está garantido, ainda mais com seleções fracas como adversárias. Mas após finada a copa, a ressaca será bem dolorida para a cabeça dos brasileiros, tão dolorida que nem um troféu de hexacampeão ira servir para amenizar as dores que serão beem fortes.
Povo tolo metido a esperto, praticante do "jeitinho", sabe muito bem que após a copa, não há quem dê jeito, jeitinho e jeitão para fazer o Brasil se recuperar da grave crise que o país espera.
PS: Como Ronaldo tá gordo! Pelo jeito os zilhões pagos a ele no quadro de emagrecimento do Fantástico só serviram para atrair audiência. Só isso.
Macu…

Para o mercado publicitário, a copa já começou!

Imagem
Quem assiste TV já deve ter notado. Discretamente já começam a aumentar aos poucos a quantidade de propagandas em que aparece o futebol. Mesmo algumas com bastante sutileza, já mostram o famigerado esporte, para estimular o consumismo de copa.
Publicitários e empresas todo o custo tentam impor através da sugestão e do estímulo, o gosto pelo futebol, para que os produtos relacionados com a modalidade esportiva, principalmente em tempos de copa, possam render muito lucro financeiro para quem investe maciçamente neste tipo de persuasão. 
São propagandas dos mais variados produtos, alguns não relacionados diretamente com o futebol, mas que aproveitam para inserir algo relacionado, para forçar a associação, transformando o consumismo de copa em uma obrigação praticamente cívica, garantindo os lucros.
Para isso, eles não abrem mão de forjar o patriotismo e de tentar criar uma unanimidade para fazer com que não haja um só brasileiro que se recuse a gastar com futebol, há muito tempo a maior e m…

Eu não quero que o Brasil seja conhecido pelo seu futebol. Temos muito mais do que isso

Imagem
Pode parecer chocante para a maioria das pessoas ter que ouvir alguém dizer que o Brasil não deve ser conhecido pelo seu maior símbolo, por aquilo que o faz famoso lá fora: o seu futebol. O Brasil é um país com diversidades variadíssimas e não pode ficar marcado por causa de um mero esportezinho que sequer é o mais divertido que existe.
A mídia colocou na cabeça de todo mundo que Brasil e futebol são sinônimos: que torcedor de futebol e brasileiro significam a mesma coisa. Muita insistência publicitária e uma certa rigidez nas regras sociais consagrou o futebol como nossa identidade, sendo facilmente confundido com patriotismo e com dever social. Em muitos lugares no país, por exemplo, só tem direito a ter amigos quem curte futebol: quem não curte, é excluído.
Mas todo o esmero em transformar o futebol no melhor que podemos oferecer ao outro é inútil. Até porque isso é uma farsa. Não é o nosso melhor. O futebol, esporte mediano, tão mediano que é praticado por atletas de baixíssima esco…

Time bom não precisa de torcida!

Imagem
E aí, meu amigo? Quando você está para se envolver em alguma oportunidade que irá mudar a sua vida, você faz questão que uma multidão torça para que você aja? Ou dá para ir sozinho aproveitar a oportunidade que na verdade só depende de sua atitude? Você não vai ficar esperando que um monte de gente venha urrando para te estimular a fazer se o objetivo a alcançar já serve como estímulo.
Desta forma que deveriam pensar os jogadores de futebol. Que idiotice é essa de querer que a torcida esteja sempre presente, como se ela estivesse em campo? Ainda mais em tempos de copa, onde estádios caros tiram vários jogos de suas regiões nativas.
E o que dizer dos times pequenos, onde a quantidade de torcedores é quase nula? Vocês acham que a falta de uma grande torcida desestimula os jogadores? Nada disso. Eles continuam lutando já que o objetivo é o jogo em si, não um monte de bestas berrando sem parar.
Esse negócio de 12º "jogador" é uma tolice sem tamanho. Torcedor é somente espectador. A…

A responsabilidade social dos jogadores de futebol

Imagem
É conhecido de todos que a grande maioria dos esportistas, sobretudo os jogadores de futebol são alienados, submissos e com senso crítico, senão ausente, mas atrofiado. Nunca vi, pelo menos no Brasil, algum esportista em plena carreira, se utilizar de sua influência para alguma atitude considerada subversiva. Rebeldia, só a estereotipada, palavrões, cabelos esquisitos e dancinhas ridículas. Fora isso, nada que incomode políticos, empresários e pessoas conservadoras.
Há os que fazem assistencialismo social. Mas nada que mude a sociedade, apenas dando conforto a jovens carentes, mas estimulando neles o respeito ao sistema como ele é: injusto, problemático e teimoso, sem chances de melhorias reais, permitindo apenas as melhorias paliativas.
Mas porque falo nisso? Apesar de notar esse comportamento carneirinho em todos os esportistas - interessante, ainda não apareceu uma exceção, pelo que eu saiba - vou me ater aqui aos jogadores de futebol, pois a sua influência na sociedade é muito maior…

"Sangue Bom" encerra sem repercutir futebol

Imagem
A novela Sangue Bom se encerrou na sexta passada como uma novela romântica como outra qualquer. A ênfase ficou mesmo na formação de casais e no destino dos personagens. A parte futebolística da novelinha foi direto para o ralo, com repercussão totalmente nula.
Foi criado um núcleo de torcedores fanáticos pelo Corinthians na tentativa de popularizar ainda mais o futebol e principalmente o "time da Globo", cujo dirigente está sendo "educado" para ser o "novo Ricardo Teixeira", um supercartola a ditar (e lucrar muito com isso) os rumos do esporte mais popular do país.
E não é só. A meta era aumentar a popularidade entre as mulheres, já que para a Globo, o futebol deve ser curtido por 100% da população brasileira, seja de que raça, credo, sexo e ideologia for. A personagem Giane, integrante feminino do núcleo futebolístico interpretada pela atriz mais linda da geração pós-adolescente, Isabelle Drummond, foi escalada para tal missão. 
Missão solene…

Empregos para a copa de 2014 serão temporários

Imagem
Mania das pessoas que adoram futilidades, que na hora de se defenderem das críticas vindas de pessoas mais esclarecidas, para não parecerem burras ou alienadas, lançam mão de justificativas "nobres" para dar uma postiça consistência à futilidade que defendem.

Está sendo assim com muitas coisas e principalmente com a copa de 2014, um evento que veio num momento errado e mostrou a imaturidade de nossas autoridades, muito mais preocupadas em dar uma festinha do que melhorar as condições de vida da população. Quem é coerente sabe que as "melhorias" que virão com a copa de 2014 nada passam de mero consumismo e que serviços essenciais poderão ter a verba cortada para favorecer as obras para agradar os turistas - que não são "todas as pessoas do mundo" - que virão assistir aos jogos.

Mas os fanáticos pelo futebol se orgulham de sediarem o maior evento de seu esporte favorito. E para isso, farão de tudo para defender a decisão - equivocada , de fato,…

O que Neymar fez para ser tããão influente?

Imagem
Um gurizinho de cabelo em pé chega. Multidões ficam histéricas. Homens copiam seu visual, antes rejeitado por estar associado a - verdadeira - rebeldia. Mulheres morrem de amores, mesmo sabendo que ele é feio pra cacete, com a inconfundível "cara de pobretão". Ele dá entrevistas, posa com celebridades, fala com autoridades. É respeitado, idolatrado, seguido, obedecido! Tudo que ele fala vira ordem. Ganha um gigantesco salário, acrescido de merchandising, participações em programas e o que vier. Ele tem poder. Atende pelo estranho nome de pobretão: Neymar.

Como uma nulidade dessas, de baixo nível intelectual, de péssimas referências culturais, vira uma espécie de "autoridade" só porque sabe chutar uma bolinha em uma trave? Somente o fanatismo de uma população de baixa auto-estima, que acha que o futebol vai salvar o país, sendo a "única alegria" dessa mesma população, pode justificar o culto maciço e intenso dedicado a uma nulidade chamada Ney…

Copa de 2014: todos juntos vamos... pela corrupção

Imagem
Os brasileiros só vão aprender apanhando. Não sabem que prevenir é melhor que remediar. A submissão a mídia e às regras sociais estão atingindo níveis assustadores. O senso crítico e a coerência saíram de moda há muito tempo e todos preferem justificar com bobagens a realização dessa copa ao mesmo tempo inútil e onerosa.

Ninguém consegue perceber, além dos mais esclarecidos, é claro, que o verdadeiro interesse das autoridades na realização desse evento é ganhar muito dinheiro com ele e projetar a imagem das mesmas autoridades para o mundo como "aqueles que organizaram a grande copa de 2014". Nas propagandas, tiveram a audácia de inventarem que a copa de 2014 foi para o interesse do povo.

Tradicionalmente, em sociedades atrasadas, autoridades não governam para o povo. Governam para os empresários que financiam suas campanhas. Tanto é que os grandes empresários são os únicos que podem falar grosso com autoridades do executivo. E é visando os interesses dos detento…

Não adianta, está difícil dissociar futebol de patriotismo

Imagem
O mercado publicitário sabe que o mito de patriotismo tempera o gosto pelo futebol tornando o "mais divertido" e "mais emocionante". Os brasileiros entendem o futebol como única oportunidade de demonstrarem seu amor pelas coisas do país e gerou os apelidos pejorativos de "Pátria de Chuteiras" e "Patriotas de Copa", que nos transformam em objeto de chacota pelo mundo afora.
Futebol gera muito dinheiro. Confundido como uma obrigação, e por isso mesmo sendo visto como um bem de primeiríssima necessidade, ele se torna uma fonte de renda certeira, cujos lucros podem ser previstos com absoluta garantia. Brasileiro gasta muito com o futebol e parece não se importar com isso. A crendice no futebol como fonte de maior orgulho do brasileiro e consequentemente, de seu bem estar, transformam os gastos em nome da citada modalidade esportiva em obrigações irrecusáveis e motivo de honra.
E é um dever que ninguém se importa em cumprir. Um lazer transformado em ob…

Porque a grande maioria dos esportistas são alienados?

Imagem
Muita gente pode até não reparar, até porque toda a magia que cerca o esporte no Brasil acaba cegando a consciência, mas quase todos os atletas brasileiros, de qualquer modalidade esportiva, são alienados, seguem ideais conservadores e pulam fora de qualquer tipo de campanha ou manifestação que pretenda fazer alguma mudança social ou no sistema em que vivemos. No máximo, campanhas de "solidariedade" que se limitem a caridade estereotipada que consola mas não melhora nada. 
Mas porque pessoas estigmatizadas como "heróis" e cultuadas por imensas multidões perdem essa oportunidade única de usar o prestígio e a popularidade para tentar de fato melhorar a vida para a coletividade? Há uma explicação para isso.
O esporte, pelas suas características, por incrível que possa parecer, é tipicamente conservador. Sua função é através da catarse (explosão de tensões - "adrenalina"), criar uma espécie de "fuga" para permitir a permanência da estrutura do poder q…

Futebol é usado para confraternizar misses

Imagem
Não tem jeito. O fanatismo futebolístico ainda não deu sinais de que irá se acabar. O maior meio de fuga dos problemas brasileiros ainda mostra que está cada vez mais forte, ainda mais com a proximidade da alienante, inútil, onerosa e corrupta copa de 2014.

E não é que para entreter as participantes do concurso Miss Brasil e do Miss Universo, que aconteceu aqui no ano passado (nosso país já pode ser considerado a potência do entretenimento, o quintal do mundo), a organização criou uma partida de futebol para as moçoilas participarem? Virou tradição confraternizar misses em partidas arranjadas de futebol.

A elite de nosso país não perde a oportunidade de utilizar o famoso esporte para continuar alienando ainda mais a população, colocando o mesmo num patamar infinitamente superior ao que ele se encontra. Por isso mesmo que a gigantesca parcela imbecil população aguarda a copa de 2014 como a solução definitiva para seus problemas. Algo que, sinceramente, foge de qualquer lógic…

Estranho: quando um time ganha, a responsabilidade é dos jogadores, quando perde é do técnico...

Imagem
Um mito estranho existe dentro do futebol: a responsabilidade pelo que acontece com um time durante um jogo. Quando um time ganha, os jogadores são responsabilizados. Ninguém se lembra do técnico, a não ser a imprensa durante as entrevistas. 
Mas quando perde, a coisa se inverte e os "coitadinhos" dos jogadores são liberados da culpa, que é jogada totalmente no técnico. Muitos até são demitidos após derrotas importantes.
Parece que para os torcedores é muito forte o ilusório mito de que os jogadores são "gente como a gente", como se representassem a população, o que agrava ainda mais o alienante fanatismo cego que transforma o futebol em dever cívico e social. É isso que faz com que os jogadores nunca sejam culpados pelos maus momentos de um time.
Coitados mesmo são os técnicos, lembrados apenas nas derrotas de seus times.

Se a "seleção" não é a CBF, ela é o quê?

Imagem
Quando algo irracional começa a ganhar força, muitos absurdos são ditos a respeito, na ânsia de defender certos absurdos. Durante os protestos de junho, um desses infelizes que adoram raciocinar errado, pediu respeito aos jogadores da "seleção"argumentando que eles não eram da CBF. Como assim? O que é aquele símbolo estampado em destaque na camiseta?
Para os fanáticos futebolísticos que confundem futebol com patriotismo, a "seleção" "pertence" ao povo. Num país sem guerras sérias, totalmente pacífico, há a necessidade de forjar guerras na tentativa de se sentir incluído entre os países sérios que construiram sua dignidade após muitos danos pós guerras. Por isso mesmo, os jogadores - de brincadeirinha, creio eu - são vistos como "corajosos soldados em luta pela dignidade e honrada nação brasileira". É tolice, mas muita gente, inclusive marmanjos bem crescidos, acredita nisso, já que é o "tempero" para tornar o futebol mais divertido.
Mas …

Para os brasileiros, futebol ainda tem a obrigação de ser levado a sério

Imagem
Quando aconteceu os surpreendentes protestos de junho, muita gente aproveitou para pedir "respeito" para os jogadores da "seleção" e para o futebol como instituição, como se isso nada tivesse a ver com a construção de estádios para a copa. 
Na verdade, as pessoas queriam a todo o custo proteger o futebol brasileiro, sobretudo a "seleção" de ser visto como algo supérfluo (o que, cá para nós, é de fato). A maioria dos brasileiros cresceu, sonhou e até amou com o mito de que o futebol é nosso maior orgulho, é algo sério, necessário e seu culto, além de obrigatório, é extremamente indispensável. Isso é uma crendice puramente irracional, mas imagine milhões de pessoas educadas com este pensamento, martelado com frequência durante muitas décadas. Quase impossível demover a população desta crença absurda.
Para estes, os protestos poderiam até continuar, desde que direcionados exclusivamente aos políticos e aos "antipáticos" cartolas, os gestores dos time…

Blogues em férias

Imagem
Desculpem-nos, mas não teremos postagem por um tempo. Entraremos em um pequeno recesso, mas voltaremos em breve. Aguardem-nos.

Maldição! "Seleção" joga no Dia da Pátria!!!

Imagem
Foi assim no ano passado e está sendo este ano. Será que vai virar tradição colocar jogo da "seleção" no Dia da Pátria. A mídia ainda não alertou sobre a "coincidência" se limitando a dizer que o jogo ocorrerá no sábado. Mas se fizermos a associação, soará delirante para os fanáticos torcedores que em sua ignorância pensam que o futebol é patriotismo e que a "seleção" é o país. Só faltava a bobagem de "200 milhões de técnicos". Me excluo entre estes.
Torcemos para que essa seja a última vez, pois se virar tradição, vai reforçar ainda mais o mito tolo de que futebol é dever cívico, e que transforma o mesmo em uma obrigação irrecusável.
A CBF e seus asseclas, incluindo mídia e patrocinadores gostam muito dessa associação, pois faz com que a adesão ao futebol seja compulsória e quase absoluta, tornando os lucros relacionados ao mesmo bastante garantidos. É por isso que reforçam o mito do futebol-pátria, que faz com que a população pense ser o nosso m…

Comunidade do Facebook contra futebol é marcado por gente inteligente e de bom gosto

Imagem
Sem querer ofender quem curte futebol, mas vamos reconhecer: futebol é hobby de gente burra. Pode ser até que haja inteligentes que se interessem por futebol, mas é hobby típico de gente de escolaridade baixa e de senso critico atrofiado (não apenas os torcedores, mas jogadores também, salvo raras exceções). Se nem todos os que curtem futebol são burros, pelo menos todos os burros curtem futebol.
Mas e quem não curte. Se livrar das amarras de um hobby considerado obrigatório pela mídia e pelos costumes sociais não é tarefa para qualquer um. Deixar de gostar de futebol exige uma abnegação e também a coragem de assumir uma solidão compulsória, já que o futebol também é um dever social, considerado inclusive item de etiqueta em alguns lugares como a Região metropolitana do Rio de Janeiro. Negar o futebol é tarefa para os fortes.
Ir contra a correnteza é uma boa metáfora para explicar como é difícil fugir do pensamento da maioria. Para quem prefere seguir a correnteza, tudo …

Não é o futebol que aliena. É o que vem junto com ele...

Imagem
Os torcedores de futebol não gostam de ser chamados de alienados. Apesar de não provarem nada que inviabilize o fato de serem chamados como tais, batem o pé no chão se recusando a admitir  a alienação que é claramente visível.
Claro que esses torcedores se revoltam porque não entenderam  as acusações de alienação. Na verdade, se os torcedores são realmente alienados, não é pelo fato de gostarem de futebol e sim por achar que o seu esporte favorito, criado para não ser nada além de uma forma de diversão, é o símbolo de orgulho e de identidade nacional, quase como uma forma de patriotismo, de amor à pátria.
É aí que se vê a alienação. É nessa confusão entre futebol e dever cívico, "seleção" e nação, jogador de futebol e herói, que caracteriza a verdadeira falta de bom senso e de lógica, caracterizando o fanatismo alienante que é muito criticado por quem não curte futebol.
O que estes torcedores precisam saber é que não é o futebol e nem o fato deles gostarem dessa modalidade esp…

Fabricante de TV coloca botão para futebol em controle remoto

Imagem
Palhaçada desnecessária, mas que ainda sinaliza que, para os empresários, assim como ocorre com as autoridades, há o enorme interesse em estimular o fanatismo futebolístico que, além de imobilizar a população, transformando-a em carneirinhos dóceis e submissos ("pra quê melhorar o Brasil, se bom mesmo é ganhar no futebol? " - Quanta asneira!), ainda garante uma grande fortuna, que chega aos cofres dessas empresas sem qualquer tipo de adiamento.
A Samsung decidiu colocar um botão de futebol no controle remoto de um dos modelos mais recentes de TV. Esse botão varre algum canal que esteja passando algum jogo de futebol. Um botão desnecessário até para quem gosta de futebol, já que o fanatismo estimula a iniciativa de procura por parte dos torcedores que, certamente já conhecem a programação de seus jogos favoritos na TV antes mesmo de sentar no sofá e berrarem feito alces a cada gol.
Mesmo que os torcedores não necessitem de tal botão, eles agradecem. Pois todo o …

Explicando novamente a relação entre alienação e futebol...

Imagem
Já publicamos aqui vários textos tentar colocar na cabeça da população o fato de que não é o futebol em si que é alienado, mas a maneira que o brasileiro curte futebol, colocando nele uma exagerada importância que não lhe pertence, transformando-o em símbolo pátrio e motivo maior de orgulho para o brasileiro, que o coloca acima até da qualidade de vida ou de coisas ainda mais sérias.
O futebol, para quem não sabe (e muita gente não sabe disso), foi criado APENAS para ser uma forma de diversão. A mídia, patrocinada por empresas interessadas em desviar o foco da sociedade para coisas mais supérfluas, estimulando o consumo de produtos ligados a modalidade esportiva, é que inventou essa "tradição" do "futebol-pátria", que transformou aquilo que foi criado como simples passatempo em uma obrigação cívico-social quase unânime. 
Esta transformação é que deve ser considerada como fonte de alienação, pois superestima uma forma de lazer supérflua, encarada com absoluta seriedad…

Garota escreve resposta dura a comentário alienado de Pelé sobre os protestos

Imagem
Este vídeo, que já tem algum tempinho, é o mais duro e direto contra o fanatismo do futebol, aproveitando o triste comentário de Pelé, durante a supérflua copa das confederações, de que deveríamos abandonar os protestos ocorridos na época e torcer pela "seleção" porque a "'seleção' é o país". Quanta besteira, "Majestade"!...
Seleção não é o país, ô alienado!!! Seleção é só um timinho de futebol. É lazer, diversão, brincadeira!!! Futebol é nada para ser levado a sério, viu? Séria é a qualidade de vida da população brasileira! Sério é tudo aquilo que o futebol, uma mera forma de diversão pura (e nada além disso), nunca teve, nunca tem e nem terá condições de representar! O resto (incluindo o futebol neste resto) é brincadeira de criança bem pequeninha. Entende?!!! 
Parabéns a esta corajosa professora, que teve a coragem de dizer tudo em um só vídeo de poucos minutos, acabando de vez com a fantasia irracional de que o "futebol é patriotismo".…

Feliz com a copa do mundo na nossa nação?

Imagem
OBS: Finalmente tinha que haver essa gastança toda na inútil copa para que as pessoas começarem a amadurecer e reconhecer a não-prioridade do futebol em nossas vidas. O futebol é nada mais que uma forma de lazer e deve ser encarada como tal. Chega de passarmos mais anos e anos pensando que futebol é patriotismo e que jogadores são heróis. Futebol é supérfluo e deve satisfazer apenas a quem gosta dele, não representando motivo de orgulho de povo nenhum. Até porque o futebol não foi feito para ser motivo de orgulho de nada, por ser apenas um mero passatempo para quem não tem algo mais importante para fazer.
Este texto apareceu no Facebook e mostra uma garota indignada com tudo o que envolve o futebol e a alienada ideia de que o mesmo é nosso maior orgulho patriótico. Trouxas, vejam só o que é o patriotismo de bosta em que vocês acreditam!
FELIZ COM A COPA DO MUNDO NA NOSSA NAÇÃO?
APENAS OS QUE GANHAM EM CIMA DE TODA ESSA ALIENAÇÃO!
OS FELIZES DO TIME DA CORRUPÇÃO!

Raquel Santana - Revoltados…

Pouca repercussão do "Dia do Futebol" pode ser sinal de maturidade do povo brasileiro

Imagem
A última sexta-feira, dia 19, foi o Dia do Futebol. A razão da escolha da data é a fundação do clube mais antigo do país, o Sport Club Rio Grande. Mas por pouco a data não passa despercebida.
Os protestos ocorridos durante a copa das confederações surpreenderam a todos por colocar o futebol, pela primeira vez, em segundo plano, abaixo de interesses bem mais sérios como qualidade de vida. Parecia que, de uma hora para outra, ficou ridículo priorizar o futebol.
E pelo que eu notei, a repercussão foi bem fraca. Mais fraca ainda que a do Dia do Rock (lembrando que rock hoje em dia perdeu muito em popularidade). No Facebook, somente poucas empresas resolveram usar a lembrança da data para vender seus produtos. Fora isso, nenhum sinal. Até porque a vinda do Papa, a acontecer na semana que vem, tem desviado bastante a atenção.
Pode ser que o brasileiro finalmente entendeu que o futebol, embora muito válido, não passa de um mero lazer e sua associação com patriotismo não passa de uma fantasia tí…

Quanto mais social a pessoa, maior é a sua adesão ao futebol

Imagem
No Brasil, por ser considerado um "dever cívico", a adesão de adeptos se torna maciça. Como a transformação de uma forma de lazer em "obrigação" é sempre muito bem vinda ("nós, obrigados a nos divertir? Obaaa!!!), quase todos os brasileiros encaixotaram de virar "boleiros", acreditando naquela palhaçada de "200 milhões de técnicos". Isso transformou o futebol não somente em dever cívico como também em dever social (inclusive em regra de etiqueta em alguns lugares, como no Rio de Janeiro - não gostar de futebol é considerado ofensivo).
E porque dever social? Simples. Por ser um assunto que supostamente interessa a uma grande maioria, o futebol se transformou em elemento conciliador, ou seja, uma opinião fácil de ser convergida. Por acreditar que "todos" gostam de futebol, as pessoas consideram o futebol um assunto fácil de ser falado com pessoas desconhecidas.
Para alavancar ainda mais o caráter socializante do futebol, sabe-se muito…

Maracanã estipula ingresso de 100 reais. É por isso que querem tanto que o brasileiro goste de futebol!

Imagem
Estão felizes agora com a aquisição do Maracanã por um grupo de capitalistas liderados pelo "deus" Eike Batista? O consórcio do qual ele faz parte estipulou que o valor mínimo dos ingressos será de 100 reais. Isso mesmo o que você leu: 100 reais.
Para os ricaços (sobretudo os famosos) que fingem gostar de futebol para parecerem simpáticos para a sociedade, isso não os incomoda. Mas para os pobretões, grande maioria dos torcedores e os únicos (há exceções!), graças a pouca escolaridade, nenhum discernimento e ainda mais escasso senso crítico, a gostarem de fato de um esporte tão medíocre, como vai ser?
Mas até para isso já existe uma solução, pois graças ao fanatismo estimulado pela mídia e pelas regras sociais, os pobres farão de tudo para arrumar este valor, nem que tenham que abrir mão da comida ou de outra coisa necessária. O que importa para eles é "cumprir o dever cívico" de assistir ao futebol. O resto é "acréscimo de misericórdia". palhaçada.
Agora en…

Possível queda de popularidade do futebol incomoda a mídia

Imagem
Os protestos ocorridos durante a copa das confederações foram algo que pegou todo mundo - inclusive eu - de surpresa. E o paralelismo com o evento esportivo, na verdade uma preliminar do grande engodo de 2014, surpreendeu mais ainda, já que é tradição para o brasileiros tratar o futebol como algo mais importante do que tudo, mais importante até do que os próprios brasileiros.
A mídia oficial não gostou nada disso. E mesmo após semanas de encerradas as manifestações, ainda não conseguiu engolir esse fato. Foi muito incômodo para os barões da mídia ver o futebol sendo jogado a segundo plano, mesmo com a audiência maciça da vitoriosa final.

Reportagens sobre os protestos vem sempre com o tom de lamentação, como o pai que lamenta que seu filho não quis lhe obedecer e satisfazer a submissão filial desejada. Nenhuma dessas reportagens comemorou a conscientização coletiva da população, algumas achando que a torcida pelo futebol, do contrário que a lógica e o bom senso sugerem, era um complemen…

Como as outras redes, SBT força a barra para associar futebol a patriotismo

Imagem
Não é somente a Globo e a Band, claramente comungada com os interesses da CBF e da FIFA que não medem esforços para transformar o futebol em símbolo de patriotismo e dever cívico. O SBT, raramente criticado por sua postura alienada, mas discreta, fez, no último sábado, uma reportagem tentando forçar essa barra.
A reportagem mostrada tentou associar o famosos esporte aos protestos, como se fizesse parte do pacote de conscientização da população brasileira. Chamou jogadores de "não-alienados", tentando provar, por meio de declarações escassas e superficiais uma certa politização por parte deles, que na verdade estavam bem alheios aos protestos, por ignorarem os problemas do país, sofridos no passado pobre deles, mas completamente ausente da fabulosa realidade atual.
Ainda tentaram superestimar o futebol como se estivessem interessados em ainda mantê-lo como nosso maior interesse, embutindo um caráter político na modalidade esportiva.
Ainda questionaram as críticas feitas aos joga…

O Brasil não precisa do futebol para se orgulhar

Imagem
Somente a ignorância somada à baixa auto-estima para colocar uma forma supérflua de lazer como símbolo máximo de um país, quase como um sinônimo de civismo. Estava na hora de alguém mostrar a todos que o futebol não deveria ser confundido com patriotismo. O Brasil é grande e variado demais para se tornar refém e escravo de uma simples e supérflua modalidade esportiva.
A revolta contra a construção dos estádios de futebol em detrimento ao outros serviços gerou a inédita percepção de que o futebol não é mais nossa prioridade. Nunca deveria ter sido, mas tem gente que está estranhando o futebol ter sido deixado de lado. Há quem considere o futebol o "nosso rosto" e tirá-lo do foco foi uma heresia que está sendo difícil de aceitar, mesmo tipo de reação que os evangélicos tem em relação aos homoafetivos.
Para muitos, Brasil é sinônimo de futebol e vê-lo jogado a segundo plano incomoda, mesmo que algum brasileiro tente aceitar. Muita gente foi educada com a ideia de que o futebol er…

Retomamos o soninho?

Imagem
Brasileiro esquece rápido. Depois de acordar para a realidade, resolveu tirar uma cochiladinha ideológica no domingo, final da copa das confederações e aniversário da conquista do "penta". 
Depois daquele memorável desprezo feito durante o jogo da "seleção" contra o México, a população, como o marido "galinha" que se arrependeu de trair a esposa, retomou o fanatismo futebolístico, sem dissociá-lo do patriotismo, usando o futebol para justificar a "comemoração" de tempos melhores. Quanta palhaçada!
Agora o povo retoma a sua "paixão" pela seleca, já que o viciado nunca larga seu ópio, a não ser com muita coragem. Domingo, do contrário do jogo contra o México, onde o desprezo coletivo - uma abstinência momentânea ao ópio - chegou a entristecer Galvão Bueno, comentaristas e outros jornalistas esportivos. Já o último jogo, contra o Uruguai, a atenção retomada devolveu o clima ufanista alienante que há muitas décadas tem feito o futebol a ser …

Faltou completar o dever cívico!!!

Imagem
Os protestos ocorridos nas últimas semanas foram um importante marco para a sociedade como um todo. Do nada, os brasileiros resolveram se conscientizar e lutar pelos seus direitos básicos, não um, mas todos. Foi lindo ver multidões gigantescas lutando por um país melhor, como não se via há 45 anos.
Mas tudo isso foi por água abaixo hoje. Como o drogado que não larga seu ópio, o brasileiros retomou o gosto pelo futebol e hoje irá em massa "apoiar" a "seleção" na final da copa das confederações, nome dado ao aperitivo do evento que ocorrerá no ano que vem. 
Ingenuamente acreditando estar completando o dever cívico dos protestos, as pessoas que decidiram dar o seu "apoio" à 11 analfabetos enriquecidos sem estudo, na verdade estão fazendo o contrário. Agem como o aluno que decidiu interromper o seu dever de casa para ir brincar, não completando a tarefa exigida por seu professor na escola.
Seria ótimo se nenhum brasileiro fosse ao Maracanã hoje. Esta forma de pr…

Amarelão amarela diante protestos e se dá mal

Imagem
Os protestos acontecidos em todo o país pegaram os organizadores da copa e os jogadores ex-jogadores de surpresa. Acostumados a tratar o futebol como prioridade e esperar adesão maciça de quase toda a população ao esporte, foram surpreendidos com o desprezo de grande maioria da população e hostilidade por parte de algumas pessoas. Finalmente, o futebol deixou de ser visto como dever cívico, o que de fato ele nunca foi, a não ser para as mentes mais alienadas.
Como falei antes, é de interesse dos organizadores e patrocinadores da copa que o futebol seja confundido como dever cívico porque transforma o futebol em obrigação, garantindo lucros, além de imobilizar a população que ocupada com o "dever", esqueceria outros deveres. O que desta vez não aconteceu.
E essa surpresa deixou perplexos os jogadores (que preferiram a silenciosa omissão) e irritados a comissão técnica (que incluía ex-jogadores). Pelé e Ronaldo, ao invés de apoiar os protestos preferiram dizer bobagens que irrit…