Postagens

Mostrando postagens de 2017

A derrota do Flamengo e a mania de levar o futebol a sério

Imagem
Rio de Janeiro é um estado em crise. Mas não faz mal. Se o estado for completamente destruído e sobrar apenas o Maracanã, a população fluminense, e principalmente a carioca, respirará tranquila. Salvou o seu bem mais valioso.
Cariocas são fanáticos por futebol. Incluem a vitória de um time à qualidade de vida mesmo que esta vitória nada traga de concretamente positivo a seus torcedores. É como uma religião onde o abstrato e intocável representa uma alegria muito maior que o concreto. É como ser feliz com uma alegria imaginária, fictícia e intocável.
A derrota de ontem do Flamengo no jogo contra o Cruzeiro entristeceu os cariocas que estão muito felizes com a decadência do estado. Afinal, esta decadência não está sendo causada por um partido de esquerda, o que alivia os tradicionalmente conservadores cariocas.
Como o futebol substitui a qualidade de vida, o foco dos cariocas é ver os seus times e a "seleção" do Pato Amarelo do ganancioso Neymar vencendo campeonato importante…

Grito de "gol" dos cariocas é para afirmar masculinidade

Imagem
Quem vive no Rio de Janeiro sabe que na sociedade carioca o futebol não somente é obrigação social como é regra de etiqueta. A sociedade carioca está dividida entre quatro times: Flamengo, Fluminense, Vasco e Botafogo. Cariocas são obrigados a escolher um dos quatro times e mesmo não assistindo a um só jogo e desconhecendo o nome dos principais craques, quem não optar por entre um dos quatro se encontra em sérios apuros, sendo vítima de claros preconceitos.
Mas para os homens cariocas, o futebol tem um significado a mais, o que aumenta a obrigatoriedade: o futebol é o meio de afirmar a masculinidade. Para cariocas, homem não é aquele que gosta de mulher. Homem é aquele que gosta de futebol. Se você for gay e gostar de futebol, você é respeitado como macho viril e tem a sua masculinidade comprovada. Mas se você é daqueles que não trocaria mulheres por um joguinho de futebol, ih... pode se preparar para apanhar de homofóbicos.
Você já deve ter ouvido como um carioca comemora a vitória …

Esquerdistas: Direitistas também gostam de futebol

Imagem
Quando o assunto é lazer e cultura, os esquerdistas costumam pisar em tomate e não raramente em cocô. Não raramente costumam tratar supérfluo como necessário e enxergar espontaneidade na mais fajuta armação de produtores "artísticos". Se esquecem que por trás do lazer está a mais nociva manipulação empresarial para manter o povo alienado no tempo livre em que não está subjugado a um patrão ou coisa parecida.
As esquerdas enxergam o futebol como símbolo cívico e acham que isso tem que ser mantido, por mais fútil e inútil que seja a modalidade esportiva. Fazem questão que a seleção da CBF esteja presente em todas as copas e se puder, transforme as conquistas em rotina, por mais monótona que possa parecer. Afinal, para um país sem identidade e com baixa auto-estima, nada melhor que usar o lazer para se autoafirmar quando isso não acontece em situações mais sérias e necessárias.
Mas uma coisa que noto é que muitos esquerdistas tratam o futebol como se não houvessem cartolas env…